Quando duas pessoas decidem dividir uma vida, além do amor e dos sonhos, cada indivíduo traz consigo uma bagagem. Duas histórias de aprendizados, valores e expectativas diferentes de como deve funcionar um relacionamento.

Muitas vezes, alguns desses valores e expectativas não são expressos claramente durante a fase do namoro. São ideias que cada um tem sobre a vida e sobre os relacionamentos que parecem tão óbvias, que não faz sentido serem ditas. Seria como perguntar para o outro se ele tira a roupa para tomar banho. Ou se preocupar em avisar que você precisa de oxigênio para sobreviver. Simplesmente não parece fazer sentido.

A verdade é que os conflitos nascem, principalmente, dessas crenças não ditas. Por exemplo, o casal de namorados decide viver juntos e combinam, em comum acordo, que as tarefas da casa seriam divididas igualmente. Mas só com a convivência é que descobriram que o que cada um entende por “tarefas da casa” é diferente. Para um, significa cozinhar, lavar a louça e passar aspirador na casa todos os dias. Para o outro, fazer faxina uma vez por semana. O mesmo pode acontecer em relação a criação dos filhos, gerenciamento das finanças, sexualidade, convívio social, relação com a família expandida, etc.

Com o passar do tempo, se não bem resolvidos, os conflitos do dia a dia se acumulam. A mágoa e o ressentimento crescem. Cada um dos membros do casal sente que faz de tudo, abre mão de muito, e ainda assim não é suficiente. Alguns sentem-se sozinhos e isolados. Outros, invadidos, sem espaço para si mesmos. Mas ambos sentem-se incompreendidos e desvalorizados.

Muitos casais que procuram terapia, a veem como a última esperança de “salvar o relacionamento”. Outros pares já sabem que não querem mais estar naquela relação e procuram ajuda para uma separação harmoniosa. Há também os casais formados há pouco tempo que, sabendo das dificuldades que implicam o convívio a dois, procuram a terapia de casal como um tratamento preventivo.

A terapia de casal pode, sim, ajudar em todos esses casos. Junto com o psicólogo, o casal desenvolve novas habilidades de comunicação e de escuta do outro, além de fortalecer o sentimento de empatia e aprender novas formas de resolução de conflitos.